Catarata e pterígio: você sabe diferenciá-las?

Postado dia 22 de outubro de 2015
por Clínica Canto
home blog Catarata e pterígio: você sabe diferenciá-las?

É comum os pacientes chegarem ao consultório médico com muitas dúvidas sobre doenças, mesmo aquelas com sintomas bem distintos, como a diferença entre catarata e pterígio.

O pterígio chama muito a atenção, pois altera a estética do olho, deixando-o vermelho, irritado e com uma pele mais grossa no canto. Já a catarata é detectada somente com equipamentos específicos. A visão do paciente vai ficando embaçada, mas, não deixa os olhos vermelhos. Só é possível observar a catarata sem o uso de equipamentos quando está muito avançada e os olhos ficam esbranquiçados.Os principais sintomas do pterígio são queimação, sensação de corpo estranho, ardência ocular e olhos vermelhos. Já a catarata tem uma progressão lenta, causando um leve embaçamento que demora a ser percebido pelo paciente. 

As causas de ambas também são bem distintas: o pterígio surge devido ao excesso de exposição ao sol sem devida proteção, ou seja, óculos escuros e a catarata é uma doença do envelhecimento natural do olho, que começa a aparecer depois dos 60 anos, embora também possa ser causada por diabetes, rubéola, tuberculose e toxoplasmose. Uma cirurgia simples e de rápida recuperação é o tratamento adequado para a catarata, que exige uma lente intraocular para substituir o cristalino opaco, que é retirado. Para o pterígio, o tratamento indicado é apenas o uso de colírios. A cirurgia só é feita quando há piora da visão, irritação ocular crônica ou alterações estéticas. O procedimento do pterígio é mais doloroso e com pós-operatório mais lento que a catarata, pois há a remoção e transplante da conjuntiva de outro local do olho do paciente para onde foi retirado o pterígio e com quatro a oito pontos para fixar o transplante. Em qualquer caso, a prevenção ainda é a melhor forma de evitar quaisquer complicações ou problemas de visão. 

É importante consultar um oftalmologista periodicamente, pois é na avaliação clínica que se consegue detectar cada doença, o que permite ao médico dar as orientações necessárias para cada caso.

Tags
-