Dra. Ana Paula Canto responde dúvidas sobre conjuntivite no programa Ver Mais

Postado dia 17 de abril de 2018
por Clínica Canto
home blog Dra. Ana Paula Canto responde dúvidas sobre conjuntivite no programa Ver Mais

A oftalmologista falou sobre a prevenção e tratamento da doença

A Dra. Ana Paula Canto foi uma das convidadas do programa Ver Mais, da RICTV Record, para responder dúvidas sobre a transmissão, prevenção e tratamento de conjuntivites. Confira a entrevista abaixo: 




Valquiria Melnik - A Dra. Ana Paula Canto veio conversar conosco sobre conjuntivite. Agora é um período em que estamos sentindo que deu uma esfriada. Hoje, por exemplo, começou a fazer mais frio aqui em Curitiba. Esse momento é propício para começarmos a contrair algumas doenças, especialmente, a conjuntivite. Por quê?

Dra. Ana Paula Canto - Porque é um momento em que nós ficamos mais aglomerados. Fechamos as janelas porque está frio, está garoando e ficamos em ambientes com mais pessoas, onde começa a circular o vírus da gripe. As pessoas começam a espirrar, a tossir, colocam a mão na boca e no nariz, esquecem de lavar as mãos ou passar álcool e acaba tendo a contaminação não só da conjuntivite, como de outras doenças também

Valquiria Melnik - O pacote outono-inverno de doenças. Então, temos que lembrar de lavar as mãos sempre, não somente antes de comer ou quando estamos em casa. Está no seu trabalho, lembrou, vai lavar as mãos, até porque nós pegamos em maçanetas, no computador, teclado e se estivermos doentes, ou alguém estiver doente perto de nós, não tem como não trocar o vírus. Na questão da conjuntivite, muitos têm dúvidas se a conjuntivite é viral, é alérgica, não é nenhuma nem outra, é bacteriana... e não sabemos qual é perigosa, qual não é ou quando devemos ficar em casa repousando para não colocar em risco outras pessoas. Qual é a diferença entre essas três?

Dra. Ana Paula Canto - A conjuntivite alérgica é causada por uma reação alérgica do nosso próprio organismo, como quando tiramos os cobertores, os casacos do armário que estão com ácaros e acabamos desenvolvendo conjuntivite alérgica. A conjuntivite alérgica normalmente coça, deixa o olho vermelho, irritado e lacrimejando. Ela não é contagiosa. Pode ser causada por ácaros, pólen, esmalte, maquiagem, alguma reação alérgica da pessoa. Muitas vezes, a conjuntivite alérgica está associada com rinite, asma ou bronquite. Ela também pode ter secreção meio mucosa, que não é nem amarelada, nem esverdeada e não contamina, não transmite para outras pessoas. E temos também outros dois tipos de conjuntivite, essas, sim, que são transmissíveis e contagiosas: a conjuntivite bacteriana e a conjuntivite viral. A bacteriana é causada por uma bactéria e nós tratamos com antibiótico local e com colírio, tudo com prescrição médica. E tem a conjuntivite viral, que eu chamo de gripe dos olhos, que não temos um colírio antiviral para matar esse vírus. Então, o vírus vai ficar causando conjuntivite dentro do ciclo dele. Para o tratamento da conjuntivite viral, nós tratamos só os sintomas, como quando nós pegamos uma gripe e resfriado, nós vamos tomar remédio para dor de cabeça e mal-estar, no olho também. Nós vamos usar um lubrificante, caso a pessoa esteja com a sensação de areia nos olhos, vai fazer compressa com água gelada, que alivia muito o desconforto, mas não tem uma medicação antiviral que mate aquele vírus.

Valquiria Melnik - Então, ela dura mais tempo?

Dra. Ana Paula Canto - Ela pode durar mais tempo, sim! A bacteriana dura, em média, cinco a sete dias e nós fazemos o tratamento com antibiótico. Então, sabemos que vai durar esse tempo. Já a viral, nós não sabemos quanto tempo vai durar, vai depender muito da patogenicidade daquele virus, ou seja, o quanto ele é agressivo, e da reação imunológica do organismo daquela pessoa. Então, pode durar cinco a sete dias ou pode durar 24 dias. Eu já tive a conjuntivite viral. É aquela que não queremos que ninguém pegue, pois é muito incômodo e é extremamente transmissível. Não é incomum que a família inteira acabe pegando a conjuntivite viral. Um pegou e todo o resto da família pega também

Valquiria Melnik - Não sei se estou enganada, mas essa conjuntivite viral incha muito o olho, fica uma bolota, as pálpebras ficam muito inchadas, até meio roxas. Você sabe de cara que a pessoa está com conjuntivite viral.

Dra. Ana Paula Canto - Isso mesmo. Hoje atendi uma paciente com o olho bem inchado e bem vermelho, parecia que tinha sangue no olho, pois pode ocorrer uma hemorragia conjuntival, podem ocorrer membranas, que precisamos ir ao oftalmologista retirar, pois é uma reação inflamatória do organismo contra o vírus e pode causar danos, pode causar uma cicatriz no olho, na córnea, que vai baixando a visão daquele paciente.

Valquiria Melnik - Com as crianças os cuidados são os mesmos? Como a mãe pode ajudar? Carregar um álcool gel na mochila para limpar as mãos ajuda?

Dra. Ana Paula Canto - Ajuda, sim! E sempre lembrar a criança que ela nunca deve levar as mãos aos olhos.

Valquiria Melnik - Agora a Dra Ana vai responder as pergutas que os telescpectadores mandaram sobre conjuntivite.

“Gostaria de saber se a conjuntivite pode ser transmitida através do compartilhamento do óculos?” Mirella, de São José dos Pinhais.

Dra. Ana Paula Canto - Pode ser transmitido, sim, principalmente quando a pessoa vai ao cinema, por exemplo, os filmes 3D, que tem o compartilhamento dos óculos. Por isso que eles são higienizados, entregues cada um dentro de um saquinho. Quando for ao cinema, se certifique que eles higienizaram os óculos. E, óbvio, os óculos não devem ser compartilhados. Então, se pessoa já está com conjuntivite, você não vai pegar o óculos da pessoa e colocar. E uma dica importante: lavar os óculos somente com água e sabão caso você tenha conjuntivite. Não passe álcool na lente, pois ela fica toda riscada e estraga o teu óculos

“Gostaria de saber mais sobre coceiras e dores no fundo dos olhos, eu tenho tido com frequencia.” Jaque, do Xaxim .

Dra. Ana Paula Canto - A coceira pode ser alergia mesmo, você pode fazer compressa com água gelada, com algodão ou gaze para ver se melhora. Agora, a dor no fundo dos olhos deve ser melhor investigada por um oftalmologista. Então, vale fazer uma consulta.

“Estou com algo no olho que parece uma inflamação, pois está inchado e com secreção. O que devo fazer?” Josélia, de Almirante Tamandaré.

Dra. Ana Paula Canto - Você deve procurar um oftalmologista, pois pode ser uma conjuntivite. Nesse caso, ser for bacteriana, precisa de um colírio antibiótico, mas que deve ser prescrito por um oftalmologista. 

“Gostaria de saber se em pessoas com olhos claros ou com olhos mais sensíveis a conjuntivite pega mais rápido e se pode piorar ou agravar a visão da pessoa” Wagner Sampaio, de São José dos Pinhais.

Dra. Ana Paula Canto – Não tem diferença. Se o seu olho é mais claro, não tem maior propensão de você pegar conjuntivite – é a mesma propensão de uma pessoa que tem olhos escuros. O que você pode ter é uma sensibilidade maior ao sol. Então, você deve usar óculos de sol com proteção ultravioleta. Isso é muito importante: não basta somente os óculos serem escuros, tem que ter a proteção ultravioleta.

“Nos últimos meses, um dos meus olhos ficou avermelhado, dos cantos até a íris, sem nada em específico ter acontecido. Já fui em especialistas, mas só indicaram um colírio, que tenho usado com frequência, mas não está surtindo efeito. O que eu devo fazer?” Bruna, de Guaratuba.

Dra. Ana Paula Canto - Você mora no litoral, então, pode ser que você tenha uma pele chamada de pinguécula ou pterígio que inflamou e não está resolvendo com colírio, que deve ser um colírio lubrificante. O importante é você voltar ao médico que te prescreveu o colírio e falar que não resolveu, para ele avaliar se você precisa de algum outro colírio para um tratamento mais específico

“Quem tem transplante recente de córnea pode pegar conjuntivite. É mais perigoso e pode causar rejeição?” Jéssica Melo, do Xaxim.

Dra. Ana Paula Canto – Pode, sim, pegar conjuntivite. Nesse caso, pode ter uma consequência um pouco mais grave, já que você já tem um transplante de córnea e, com isso, uma certa imunodeficiência. E se você ainda está usando o colírio de corticoide, ele propicia pegar mais fácil a conjuntivite.

“Quem já pegou conjuntivite uma vez, pode pegar novamente?” Inara, de Almirante Tamandaré.

Dra. Ana Paula Canto – Infelizmente, pode pegar, tanto a conjuntivite bacteriana quanta a viral, caso seja causada por um vírus diferente daquele que você já pegou.

Valquiria Melnik – Lembrando o pessoal de casa que tem que lavar as mãos. Doutora, você falou também que não pode coçar os olhos, mas, nós acabamos sentindo uma coceira por conta de alergia ou outra conjuntivite. O que podemos fazer para aliviar?

Dra. Ana Paula Canto - Não se deve nunca levar as mãos aos olhos, não se deve coçar o olho em hipótese nenhuma. O que pode ser feito é compressa com água gelada, com algodão ou gaze, por que se a conjuntivite é contagiosa e você usr um paninho ou uma toalhinha para fazer compressa, ele irá ficar contaminado. Então, pega um algodão ou gaze com água gelada e faz a compressa sobre as pálpebras. Também pode usar um colírio lubrificante, que pode ser colocado na geladeira para dar uma sensação de alívio e de frescor, mas nunca usar colírio antibiótico ou corticoide, principalmente, sem orientação médica.


Tags
conjuntivite, conjuntivite alérgia, conjuntivite viral, conjuntivite bacteriana