Usar óculos sem proteção é pior que não usar

Postado dia 12 de dezembro de 2016
por Clínica Canto
home blog Usar óculos sem proteção é pior que não usar

Dra. Ana Paula Canto explica os perigos dos óculos falsificados na matéria do Portal Bonde

Mar, rio, piscina... no verão quem não quer aproveitar o sol e a água fresca? Porém, é preciso tomar cuidado com possíveis contaminações e doenças oftálmicas. Além da pele, os olhos também são órgãos muito expostos e que exigem cuidados nessa estação.

Entre as dicas dos especialistas para evitar problemas nos olhos estão o uso de óculos solares com proteção UV, o desuso das lentes de contato na água, o cuidado com objetos que podem contaminar os olhos e a posologia de medicamentos combinado com uso inadequado dos óculos.

Óculos escuros

Uma dica imprescindível é o uso de óculos escuros, pois, no verão, há mais incidência dos raios ultravioletas emitidos pelo sol. "Os raios são responsáveis pelo aparecimento de problemas sérios da visão, como catarata precoce, pterígio e degeneração macular da retina. Recomenda-se o uso de óculos com 100% de proteção UV-A e UV-B tanto para adultos quanto para crianças", afirma a oftalmologista Ana Paula Canto.

"Vale lembrar que um óculos apenas escuros e sem proteção contra os raios são mais prejudiciais do que não usar nada, isso porque, no escuro, nossa pupila dilata e os raios nocivos entram com mais facilidade dentro dos olhos", acrescenta.

O oftalmologista Leôncio Queiroz Neto diz que até lentes transparentes podem filtrar os raios UV, o que essas lentes sem coloração não filtram é a luz que chega aos olhos. "Embora até as lentes transparentes possam ter filtro UV, bons óculos escuros melhoram o conforto visual porque ajustam a quantidade de luz que chega aos olhos sem alterar a visibilidade" afirma.

De acordo com o especialista, os solares vendidos pelos camelôs são mais baratos porque as lentes não passam por controle de qualidade e não recebem resinas tonalizantes que absorvem a radiação UV e parte da luz azul, também prejudicial por causar catarata e degeneração da retina.

Lentes de contato

Segundo a oftalmologista Ana Paula Canto, o "alerta de verão" também serve aos pacientes que utilizam lentes de contato. "Não se deve entrar em mar, piscina, rios ou lagos e nem abrir os olhos debaixo da água com lentes de contato. É importante respeitar a troca das lentes descartáveis, não dormir com elas e manter uma boa higiene", orienta.

Se entrar na água com as lentes for inevitável, Canto ensina que, após chegar em casa, é preciso deixá-las de molho no produto específico por, no mínimo, seis horas. "Em caso de irritação, olhos vermelhos ou desconforto, a pessoa deve descontinuar o uso das lentes e procurar um oftalmologista", explica.

Conjuntivites

Conjuntivites também estão entre as doenças oftalmológicas mais comuns no verão. De acordo com Canto, as causadas por vírus são transmitidas pelo ar ou por objetos contaminados. "Infelizmente não há um remédio para matar o vírus e o tratamento é realizado com colírios lubrificantes e compressas geladas", revela.

"Os sintomas são olhos vermelhos, inchaço palpebral, lacrimejamento, sensação de areia e sensibilidade à luz". A profissional afirma que a patologia também pode vir acompanhada por sinais de resfriado, como a dor de garganta, febre e mal-estar.

Já a conjuntivite bacteriana pode ser transmitida em locais em que há aglomeração de pessoas, caso uma delas esteja infectada. "Esse tipo é causado por bactéria e seus sintomas são secreção purulenta nos olhos, que, ao acordar, ficam ‘grudados’, lacrimejamento e sensação de areia. Para o tratamento são prescritos colírios de antibiótico, lubrificantes e compressas geladas", completa.

Até o uso de filtro solar e de bronzeador exigem cuidado. Isso porque contêm substâncias tóxicas para os olhos. Estudo conduzido pelo oftalmologista Leôncio Queiroz Neto com 270 pacientes, mostra que no verão o filtro solar responde por 46% dos casos de conjuntivite tóxica e os bronzeadores por 39%. Os sintomas são: ardência nos olhos e visão embaçada.

Para eliminar o desconforto, recomenda lavar abundantemente os olhos com água filtrada. Não desaparecendo os sintomas é necessário consultar um oftalmologista. Para minimizar o efeito fotossensibilizante dos medicamentos a orientação é tomar sempre à noite quando a prescrição é de uma vez a cada 24 horas, como é o caso de pílula anticoncepcional.

Alergias

Há também outros causadores de alergias, como o mofo, muito comum em casas de praia fechadas por muito tempo, pólen, pelos de animais e poeira. "A recomendação é que, em caso de irritação e coceira, o paciente faça compressas geladas, mas evite a automedicação e procure orientação médica", ressalta Canto.

Medicamentos

O uso contínuo de medicamentos pode intensificar os danos do UV nos olhos. O especialista Neto afirma que cerca de 300 medicamentos contêm sais que quando entram na circulação aumentam a absorção desta radiação. O resultado é a formação de radicais livres, um dos maiores inimigos da boa visão.

Esses casos ocorrem quando os remédios são tomados sem o uso de óculos adequados para proteger os olhos. Isso facilita o desenvolvimento da catarata, perda da transparência do cristalino, maior causa de cegueira tratável no mundo. O primeiro sinal de que algum medicamento está causando alteração celular no cristalino é a fotofobia (aversão à luz).

O médico diz que os principais medicamentos fotossensibilizantes que podem desencadear a catarata quando usados continuamente são: diuréticos, antipsicóticos, antidepressivos, analgésicos, alguns antibióticos e os corticoides que também provocam glaucoma.

Outros medicamentos que aumentam a sensibilidade à luz são a pílula anticoncepcional, os indicados para arritmia cardíaca e para diabetes. Por isso, podem causar inflamação na córnea (ceratite), na conjuntiva (conjuntivite) e opacificação do cristalino. Os sinais são vermelhidão, fotofobia, sensação de areia nos olhos e visão embaçada.

Cores dos solares

Para o dia a dia, Neto recomenda o uso de solares com cores mais confortáveis como âmbar, marrom e cinza, que permitem boa visão de contraste e profundidade, além de reduzirem reflexos. Para dirigir em dias nublados, recomenda as lentes cinza por permitirem melhor visão de contraste.

Para surfistas e outros esportes aquáticos a dica são as lentes rosa e púrpura que melhoram a visão de contraste em fundos verdes ou azuis. No lusco-fusco do entardecer, são idicadas lentes amarelas, que reduzem o ofuscamento de motoristas provocados pela luz dos faróis.

Veja a matéria no link: http://www.bonde.com.br/saude/saude-e-ambiente/usar-oculos-escuros-sem-protecao-e-pior-do-que-nao-usar-396434.html

Tags
Óculos Escuros, Verão, Prevenção, Entrevista